Serviços e Exames

Fisioterapia Pélvica

A Fisioterapia Pélvica é uma especialidade da fisioterapia que atua na prevenção e no tratamento conservador de disfunções urológicas, genitais e anorretais, promovendo o bem estar físico, mental e social de homens e mulheres que sofrem com essas disfunções.

Perfil dos pacientes:

• Incontinência urinária e fecal;
• Urgência urinária e fecal;
• Prevenção de prolapsos (queda) de órgãos pélvicos (útero, bexiga e reto);
• Pré e pós operatório de cirurgias da região perineal;
• Pós prostatectomia radical;
• Disfunção sexual feminina (vaginismo e dispareunia).
• Pacientes pos radioterapia em região pélvico perineal.

Perfil dos atendimento:

• Individual (homens e mulheres)
• Possibilidade de grupo

Objetivos e benefícios da Fisioterapia Pélvica:

• Conscientização lombo pélvico perineal,
• Fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico,
• Normalização do tônus muscular,
• Redução do quadro álgico da região pélvica;
• Melhorar o suporte dos órgão pélvicos,
• Reduzir a hiperatividade vesical e Incontinência urinária de esforço,
• Reduzir incontinência e urgência fecal;
• Melhorar a flexibilidade do canal vaginal na pós radioterapia
• Orientação de exercícios domiciliares e hábitos comportamentais,
• Melhorar a qualidade de vida.

A Fisioterapia pélvica atua com diversas técnicas:

• Exercícios perineais ou Cinesioterapia
• Conscientização corporal
• Trabalho respiratório
• Mobilidade pélvica
• Inibição de contrações parasitas
• Alongamento da musculatura correlata
• Atividades na bola Suiça
• Treino sob esforço
• Biofeedback
• Eletroestimulação
• Cones vaginais
• Dilatadores vaginais
• Terapia manual
• Relaxamento perineal
• Strech reflexo
• Terapia Comportamental
• Diário miccional
• Inibição reflexa
• Orientação massagem compressiva da uretra bulbar
• Orientações quanto aos hábitos de vida
• Orientação de exercícios domiciliares

A incontinência urinária (IU) é o carro chefe nessa área de atuação da fisioterapia e ocorre na população feminina por diversos fatores e na masculina principalmente pós prostatectomia radical.

É definida pela Sociedade Internacional de Continência (ICS) como qualquer perda involuntária de urina. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) os problemas urinários chegam a atingir 10% da população de um país. A ICS recomendou o tratamento Fisioterapêutico para Incontinência urinária (IU) como a primeira opção, pois se trata de técnicas e recursos que envolvem baixo custo e baixo risco.

A Fisioterapia Pélvica aliada à conduta médica vem crescendo a cada dia, obtendo bons resultados no tratamento conservador e prevenção das disfunções urogenitais, melhorando assim a qualidade de vida dos pacientes.

Descrição das técnicas de Fisioterapia Pélvica:

Biofeedback Pressórico

É um dos métodos utilizados na prática clínica para treinar os músculos do períneo, mostrando ao paciente através de sinais visuais e / ou sons o grupo de músculos a ser trabalhado. Visa o trabalho muscular com participação ativa do paciente, permitindo ao mesmo informação sobre contração e relaxamento dos músculos do assoalho pélvico, possibilitando o auto controle dessa musculatura, sendo indicado como estratégia importante para o tratamento de disfunções urogenitais, pois favorece o controle de fechamento dos músculos do assoalho pélvico.

Eletroestimulação

Técnica que utiliza correntes elétricas de baixa frequencia para produzir estímulos específicos em nervos e músculos produzindo como resultado a contração muscular, promovendo a conscientização ou o reforço muscular, como também o equilíbrio de uma função coordenada pelo sistema nervoso atuando nos sintomas de urgência miccional, urge-incontinência e alívio de quadro álgico.

Cinesioterapia ou exercícios perineais

Conjunto de técnicas direcionadas a região lombo-pélvico perienal, que tem como princípio as contrações voluntárias e repetitivas da musculatura do assoalho pélvico, visando mobilidade, fortalecimento e melhora do suporte dos órgãos pélvicos.

Cones vaginais

São dispositivos intravaginais utilizados para fortalecer a região perineal.

Dillatadores vaginais progressivos

Dispositivos intravaginais utilizados para percepção corporal e atua na flexibilização tecidual.

Terapia manual

Visa a aplicação de técnicas para tratar alterações músculoesqueléticas através de recursos manuais tanto para o relaxamento muscular quanto para fortalecimento.

Terapia comportamental

É um conjunto de técnicas e orientações visando atuar nos hábitos diários que atuam negativamente na disfunção pélvica.