Notícias

Doenças da próstata

São três as principais doenças da próstata: prostatite e dois tipos de tumores (benigno e maligno), patologias bastante frequentes no homem.”

Do formato e do tamanho aproximado de uma castanha portuguesa, a próstata só está presente no homem e se localiza logo abaixo da bexiga, envolvendo a uretra, aquele canal por onde passa a urina. É uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino, produzindo um líquido que se junta à secreção da vesícula seminal e do testículo para formar o esperma.

A próstata cresce pouco até a puberdade, quando passa a sofrer influências mais intensas do hormônio masculino (testosterona), alcançando seu tamanho normal, em torno de 15 a 20 gramas, por volta dos 20 anos. Já está provado que seu crescimento está relacionado com o envelhecimento.

São três as principais doenças da próstata: prostatite e dois tipos de tumores (benigno e maligno), patologias bastante frequentes no homem.

Prostatite –  É bastante comum e chega a atingir quase 30% da população masculina. Ela é mais comum na forma crônica e geralmente é assintomática, mas, quando dá sintomas, os mais frequentes são: ardor ou queimação ou um desconforto junto ao orgasmo, esperma de cor amarelada, vontade frequente para urinar etc. Quando cai a resistência física das pessoas, a prostatite se exacerba e aparece de uma forma bastante aguda provocando febre alta, queda do estado geral e sintomas típicos de infecção urinária como ardor ao urinar e micções extremamente frequentes.

As principais causas de prostatite no homem são após as uretrites, como a gonorreia, após relacionamentos com parceiras com infecções ginecológicas e ainda após relação anal sem preservativo. O tratamento é feito com antibiótico e por um período mais longo do que os tratamentos habituais. Após o tratamento, o paciente necessita ficar atento, pois os sintomas da prostatite aguda podem voltar sempre que houver uma queda da resistência do homem portador da prostatite crônica.

Tumores – Existem dois tipos de tumores da próstata: os malignos (ou câncer) e os benignos, também chamados de aumento benigno da próstata ou hiperplasia prostática benigna (HPB).

Maligno – O tumor maligno, ou seja, o câncer de próstata, chega a atingir em torno de 16% dos homens e a sua frequência aumenta com a idade dos homens.

Quando diagnosticado nas fases iniciais, a cirurgia ou a radioterapia podem curar o câncer da próstata, porém em fases mais avançadas não existe cura, mas o câncer pode ser neutralizado e permanece inativo quando se bloqueia a ação do hormônio masculino (testosterona). A testosterona é responsável pela alimentação da próstata e ela pode ser bloqueada através de injeções ou pela castração cirúrgica do portador de câncer avançado da próstata.

O exame periódico do homem com o urologista é extremamente importante porque o câncer da próstata não apresenta sintomas nas fases iniciais. Portanto o diagnóstico precoce e a possibilidade de cura só existem quando se faz exames rotineiros pelo menos uma vez ao ano.

Benigno – O tumor benigno (ou HPB) é também mais frequente quanto maior for a idade do paciente e é muito mais frequente que o câncer da próstata, pois chega a atingir quase 70% dos homens acima de 70 anos.

A hiperplasia prostática começa a aparecer em homens acima de 40 anos e se caracteriza por um aumento da próstata apenas no local, diferentemente do câncer, que se espalha provocando as metástases. O aumento benigno da próstata passa a ser um problema quando ela dificulta a passagem da urina, porque, ao crescer, a próstata pode obstruir a uretra, que passa por dentro dela.

Os sintomas que a HPB provoca quando há obstrução da uretra são:

  1. aparecimento de micções durante a noite (uma, duas, três, várias vezes)
  2. aumento da frequência urinária diurna
  3. diminuição da força e do calibre do jato urinário
  4. demora para iniciar a micção
  5. sensação de urgência para urinar e às vezes até perda de urina nessas situações, entre outras.

Esses sintomas independem do tamanho da próstata porque um homem pode ter a próstata muito aumentada e não ter nenhum sintoma porque o aumento da próstata não causou estreitamento ou obstrução da uretra. Por outro lado, homens com próstatas menores podem ter todos esses sintomas porque o crescimento da próstata provocou uma obstrução importante na uretra.

Quando o homem tem a próstata aumentada, mas não tem sintoma algum, normalmente não se trata e apenas faz-se o controle anual com o urologista.

Diante dos sintomas é que se deve fazer o tratamento da HPB, que pode ser clínico ou cirúrgico. O tratamento clínico pode ser sintomático ou etiológico. Os medicamentos sintomáticos apenas melhoram os sintomas que a obstrução produz na uretra. Esses medicamentos fazem com que o homem acorde menos durante a noite, urine com mais facilidade, enfim diminui os sintomas da HPB. Esses medicamentos sintomáticos atuam imediatamente reduzindo os sintomas, mas não interferem na evolução da doença.

Os medicamentos chamados etiológicos demoram muitos meses para agir, mas têm a capacidade na grande maioria dos casos de bloquear o crescimento da próstata e até em muitos casos fazê-la regredir no tamanho.

Portanto o tratamento clínico do tumor benigno da próstata com medicamentos só deve ser feito quando se observa uma possibilidade de evolução da doença ou quando os sintomas de obstrução já apareceram.

A cirurgia da HPB é recomendada quando falha o tratamento clínico ou quando a obstrução já é muito intensa, agravando os sintomas e às vezes levando a retenção urinária aguda, quando há a necessidade de passar uma sonda para esvaziar a bexiga.

Dr. João Afif Abdo – São Paulo, SP

Fonte: Portal da Urologia

Compartilhe

Deixe seu comentário