Notícias

Câncer de pênis: um problema brasileiro

Doença pode ser evitada com higiene adequada, prevenção de DSTs e tratamento da fimose.

O câncer de pênis constitui neoplasia rara em países desenvolvidos, contrariamente ao que ocorre em regiões de baixo padrão socioeconômico como Paraguai, norte da Argentina, norte e nordeste do Brasil e alguns países da África e Ásia. Acometem em geral indivíduos com mais de 50 anos de idade e são atribuídas como causas: as altas taxas de infecções sexualmente transmissíveis, principalmente do vírus HPV, a má higiene, a presença de fimose.

“Pode-se prevenir o câncer de pênis com medidas eficazes: higiene genital, prevenção de doença sexualmente transmissível (notadamente HPV) e o tratamento cirúrgico de portadores de fimose” 

Mulheres de parceiros portadores de câncer de pênis têm maior tendência a desenvolver câncer do colo do útero. Pacientes portadores desse tumor têm qualidade de vida afetada pela lesão genital, que apresenta crescimento contínuo. O tumor exala mau cheiro e secreções que incomodam sobremaneira. A evolução desse quadro marginaliza o paciente de suas companheiras e mesmo socialmente.

A lesão, quando não tratada, progride localmente, destrói o pênis e se espalha pelo corpo. Quando apresenta metástases (tumores a distância), a morte ocorre em geral dentro de um ano. Na fase inicial o tumor tem cura e, por essa razão, o diagnóstico de lesões no pênis deve ser feito precocemente. Toda lesão peniana que não regride rapidamente com medidas habituais deve ser estudada com biópsia.

Estabelecido o diagnóstico, deve-se avaliar a extensão da moléstia no corpo por exames especializados (ressonância magnética, tomografia etc.) e o tratamento instituído rapidamente. Este varia de acordo com as características locais e a presença/ausência de metástases. Assim, pequenas lesões podem ser retiradas ou cauterizadas e as maiores podem necessitar de amputações. Tendo-se em vista a gravidade que representa o câncer de pênis, as mensagens mais importantes a todos são representadas pela prevenção e o tratamento das lesões em fases iniciais.

Pode-se prevenir o câncer de pênis com medidas eficazes: higiene genital, prevenção de doença sexualmente transmissível (notadamente HPV) e o tratamento cirúrgico de portadores de fimose.

Dr. Antonio Carlos Lima Pompeo – São Paulo, SP

Fonte: Portal da Urologia

Compartilhe

Deixe seu comentário